Efeitos de fontes nitrogenadas em consórcio com regulador de crescimento vegetal em (Phaseolus vulgaris)

Diego Aparecido Carvalho Moreira

Resumo


O feijoeiro comum (Phaseolus vulgaris) é uma das principais culturas produzidas no Brasil e no mundo. Sua importância extrapola o aspecto econômico, por sua relevância nutricional sendo uma importante fonte proteica, devido a importância da cultura, o presente trabalho teve como objetivo elucidar questões referentes ao uso de reguladores de crescimento na cultura do feijoeiro, bem como os efeitos benéficos ou não da inoculação com bactérias do gênero Rhizobium. O experimento foi conduzido no Campo Experimental do Uniaraxá “Fausto de Ávila”, localizado em Araxá – MG, com delineamento experimental em blocos casualizados, disposto em esquema fatorial de 2 x 2, descritos como fator 1 a fonte de nitrogênio (uréia e Rhizobium tropici) e fator 2 a aplicação de regulador de crescimento (aplicado ou não). Os tratamentos foram: T1 (50 Kg ha-1 de nitrogênio mineral), T2 (50 Kg ha-1 de nitrogênio mineral + Regulador de crescimento vegetal), T3 (Inoculação com Rhizobium tropici) e T4 (Inoculação com Rhizobium tropici + Regulador de crescimento vegetal), os tratamentos foram dispostos em quatro blocos e avaliados os números de nódulos por planta; massa seca da parte aérea (g pl-1); massa seca da raiz (g pl-1); números de vagens (n°); peso de 100 grãos (g) e produtividade (Kg ha-1). As fontes de nitrogênio proporcionaram resultados semelhantes entre os tratamentos, exceto para número de nódulos e massa seca da parte aérea. Em relação ao regulador de crescimento vegetal, destacou-se os tratamentos T1 e T2 nas variáveis: números de vagens, peso de 100 grãos e produtividade Kg ha-1.

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12661/pap.2017.015

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Pesquisa Agropecuária Pernambucana
ISSN 0100-8501 (impresso)
ISSN 2446-8053 (online)


Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA)
Av. General San Martin, 1371
Bongi, Recife, PE, CEP 50761-000
revista.pap@ipa.br