Metodologia de avaliação da distribuição das plantas de milho no campo versus massa de grãos

Vilson Antonio Klein, Claudia Klein

Resumo


Há controvérsia se o arranjo de plantas de milho no campo realmente afeta o rendimento de grãos. Várias metodologias são adotadas para avaliar a eficiência das semeadoras na distribuição das sementes. Para detectar o efeito desse arranjo de plantas de forma pontual, determinaram-se os espaçamentos entre 1.115 plantas e a colheita e pesagem individual dos grãos por espiga. A metodologia foi desenvolvida considerando-se os espaçamentos em ambos os lados das plantas e sua relação com a massa de grãos. Resultados demonstram que a metodologia, considerando um único espaçamento, tem seus resultados afetados pelo sentido da avaliação na linha. A metodologia considerando as categorias baseadas nos espaçamentos de ambos os lados de uma planta mostrou-se adequada e demonstrou que apenas as plantas que apresentavam espaçamentos falhos em ambos os lados obtiveram maior massa de grãos por espiga, embora ocorram com baixa frequência (1%). A semeadora com dosador de sementes de discos alveolados proporcionou mais de 80% de espaçamentos aceitáveis. Correlacionando rendimento de grãos nas parcelas com as frequências de ocorrências das categorias de espaçamento, não foi detectada significância. Conclui-se que o arranjo de plantas não afeta a massa de grãos por espiga e a estimativa de rendimento de grãos de milho.


Palavras-chave


Arranjo de plantas, Espaçamento, Semeadura de precisão, Zea mays.

Texto completo:

PDF PDF

Referências


ALMEIDA, M. L. de; SANGOI, L. Aumento da densidade de plantas de milho para regiões de curta estação estival de crescimento. Pesquisa Agropecuária Gaúcha, v. 2, n. 2, p. 179- 183, 1996.

COELHO, J. L. D. Ensaio e certificação das máquinas para semeadoura. In: MIALHE, L. G. Máquinas agrícolas: ensaios e certificação. Piracicaba: Fealq, 1996. cap. 11. p. 551-570.

DUNCAN, W. G. A theory to explain the relationship between corn population and grain yield. Crop Science, v. 24, p. 1141-1145, 1984.

KVITSCHAL, M. V.; MANTINE, E.; VIDIGAL FILHO, P. S..; VIDIGAL, M. C. G.; SCAPIM, C. A. Arranjo de plantas e produção de dois híbridos simples de milho. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 1. p. 122-131, 2010.

LIU, W., TOLLENAAR, M.; STEWART, G.; DEEN, W. Within-row plant pacing variability does not affect corn yield. Agronomy Journal, v. 96, p. 275-280, 2004.

PEREIRA, F. R. da S.; CRUZ, S. C. S.; ALBUQUERQUE, A. W. de; SANTOS, J. R.; SILVA, E. T. da Arranjo espacial de plantas de milho em sistema de plantio direto. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 12, n. 1, p. 69-74, 2008.

RIZZARDI, M. A.; BOLLER, W.; DALLOGLIO, R. Distribuição de plantas de milho, na linha de semeadura, e seus efeitos nos componentes de rendimento. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 29, n. 8, p. 1231-1236, 1994.

RIZZARDI, M. A.; PIRES, J. L. Resposta de cultivares de milho à distribuição de plantas na linha, com e sem controle de plantas daninhas. Ciência Rural, v. 26, n. 1, p. 13-17, 1996.

SANTOS, M. M.; GALVÃO, J. C. C.; MELO, A. V. de; ADRIANO, R. C.; FIDELIS, R. R.; CORRÊA, M. L. P. Efeito da fonte de nitrogênio e da época de aplicação na cultura do milho, em plantio direto, com espaçamento reduzido. Revista Brasileira de Milho e Sorgo, v. 10, n. 1, p. 29-37, 2011.

SILVA, J. G.; KLUTHCOUSKI, J.; SILVEIRA, P. M. Desempenho de uma semeadora adubadora no estabelecimento e na produtividade da cultura do milho sob plantio direto. Scientia Agricola, v. 57, n. 1. p. 7-12, 2000.

SILVEIRA, J. C. M.; GABRIEL FILHO, A.; TIEPPO, R. C.; TORRES, D. G. V.; BALDESSIN JUNIOR, A.; BOLIGON, F. Uniformidade de distribuição de plantas e estande de milho (Zea mays L.) em função do mecanismo dosador de sementes. Acta Scientarum Agronomy, v. 27, n. 3, p. 467-472, 2005.

STRIEDER, M. L.; SILVA, P. R. F. da; ARGENTA, G.; RAMBO, L.; SANGOI, L.; SILVA, A. A. da; ENDRIGO, P. C. A resposta do milho irrigado ao espaçamento entrelinhas depende do híbrido e da densidade de plantas. Ciência Rural, v. 37, p. 634-642, 2007.




DOI: https://doi.org/10.12661/pap.2017.010

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Pesquisa Agropecuária Pernambucana
ISSN 0100-8501 (impresso)
ISSN 2446-8053 (online)


Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA)
Av. General San Martin, 1371
Bongi, Recife, PE, CEP 50761-000
revista.pap@ipa.br