Bioestimulante e umidade do substrato no desempenho fisiológico de sementes de algodão

Rodrigo César Carvalho Antunes, Andréia Márcia Santos de Souza David, Hugo Tiago Ribeiro Amaro, Vitória Serafim Oliveira, Miquéias de Oliveira Assis, Dorismar David Alves

Resumo


O uso de biorreguladores vegetais vem proporcionando efeitos positivos no rendimento de diversas culturas. Dessa forma, o objetivo do trabalho foi avaliar o efeito de bioestimulante e umidade do substrato no desempenho fisiológico de sementes de algodão. Utilizaram-se sementes de algodão cultivar FMX 966, deslintadas quimicamente e tratadas com o bioestimulante Stimulate® nas seguintes concentrações: 0,0 (testemunha); 5,0; 10,0; 15,0; e 20,0 mL kg-1 de sementes, variando na umidade do substrato 30 e 60% da sua capacidade de retenção. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, em arranjo fatorial 5 × 2, (cinco doses do bioestimulante e duas umidades do substrato), constituindo em dez tratamentos e quatro repetições. A qualidade fisiológica das sementes foi avaliada pelos seguintes testes e/ ou determinações: teor de água, emergência de plântulas, índice de velocidade de emergência, comprimento de parte aérea, comprimento de raiz, matéria fresca e matéria seca de parte aérea. O bioestimulante Stimulate® aplicado via sementes não influencia o desempenho fisiológico de sementes de algodão cultivar FMX 966, apenas o comprimento de raiz é influenciado pelas condições de umidade do substrato.

Palavras-chave


Gossypium hirsutum L., reguladores de crescimento, testes de vigor

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12661/pap.2014.015

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Pesquisa Agropecuária Pernambucana
ISSN 0100-8501 (impresso)
ISSN 2446-8053 (online)


Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA)
Av. General San Martin, 1371
Bongi, Recife, PE, CEP 50761-000
revista.pap@ipa.br