Doenças fúngicas em cultivos de plantas ornamentais temperadas da região Agreste do Estado de Pernambuco, Brasil

Regina Ceres Torres Rosa, Tereza Cristina Assis, Luciana Melo Sartori Gurgel, Domingos Eduardo Guimarães Tavares Andrade, Eline Waked Ferreira Gomes, Ana Patrícia Santos Gonçalves

Resumo


O interesse na produção e na comercialização de flores ornamentais temperadas vem crescendo a cada ano no Agreste Pernambucano, cujas condições edafoclimáticas existentes favorecem o seu cultivo. No entanto, a ocorrência de doenças é um dos principais fatores que limitam a produção de flores. Este estudo teve por objetivo identificar as doenças de plantas ornamentais temperadas causadas por fungos na região Agreste do Estado de Pernambuco. O levantamento das doenças foi realizado em 16 propriedades localizadas nos municípios de Gravatá, Chã Grande e São Vicente Ferrér. As amostras de diferentes plantas doentes foram levadas ao Laboratório de Fitopatologia (IPA), para isolamento e identificação dos fitopatógenos. Várias doenças importantes apresentaram alta incidência, com destaque para a pinta-preta-da-roseira, a ferrugem-amarela do gladíolo, a ferrugem-branca do crisântemo, a ferrugem do tango, o mofo-branco e a mancha-de-cercospora em gérbera. A roseira e o crisântemo apresentaram maior diversidade fúngica, e o fungo Uromyces transversalis foi o mais frequente, seguido de Botrytis cinerea e Cladosporium sp.


Palavras-chave


ocorrência, Rosa spp., Chrysanthemum spp., Gladiolus spp., Gerbera, fungos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12661/pap.2014.008

Apontamentos

  • Não há apontamentos.



Pesquisa Agropecuária Pernambucana
ISSN 0100-8501 (impresso)
ISSN 2446-8053 (online)


Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA)
Av. General San Martin, 1371
Bongi, Recife, PE, CEP 50761-000
revista.pap@ipa.br